09/03/2020 16:32:16
Parque dos Ventos foi construído com recursos da venda de terrenos




Depois do novo Centro de Convenções, a orla da Boca do Rio ganhou mais um cartão postal e centro de lazer para a população: é o novo Parque dos Ventos, um equipamento com 85 metros quadrados, que teve a maior parte dos recursos para construção adquiridos com a venda de áreas antropizadas (áreas verdes, já desgastadas pelo homem) cumprindo  cláusula prevista no TAC - Termos de Compromisso de Ajustamento de Conduta - firmado entre a Prefeitura e o Ministério Público Estadual-MPE, no qual o município se comprometeu a investir 25% dos recursos adquiridos com as vendas de terrenos especificamente na área ambiental e sem utilizar dinheiro de arrecadação, assim como aconteceu com a construção do Centro de Convenções. 

De acordo com o Secretário Municipal da Fazenda, Paulo Souto “a prefeitura listou uma série de áreas sem qualquer utilidade para o município e, após autorização da Câmara, realizou o processo de licitação. Os recursos obtidos com a venda dessas áreas foram depositados em uma conta específica e investidos em equipamentos que trazem efetivos benefícios sociais à população soteropolitana, como é o caso do Parque dos Ventos e do Centro de Convenções”, garante. 

Com investimento de R$ 10 milhões, o Parque dos Ventos conta com a presença permanente da Guarda Civil Municipal (GCM) e monitoramento por câmeras 24 horas, além de iluminação em LED - também fundamental para a segurança -, foi construído com a proposta de funcionar como um centro esportivo voltado tanto para atletas profissionais quanto amadores. Um dos destaques do equipamento é a estrutura de dez metros de altura para atividades de rapel e escalada.

O parque dispõe ainda de pista de skate street, cuja composição simula obstáculos de rua como escadarias, rampas e corrimões; ciclovia de três quilômetros; uma pump track, pista ciclística de circuito contínuo, com lombadas, morros de terra arredondados e curvas levemente inclinadas; e um local destinado exclusivamente à pratica do parkour.

O equipamento também conta espaço infantil (inclusive com brinquedos adaptados para pessoas com deficiência), tabelas de basquete, quadra de vôlei, área para contemplação e piquenique, anfiteatro com capacidade entre 100 a 150 pessoas, quatro morrotes (pequenos morros) ligados por pontes de madeira laminada e estrutura metálica, escorregadeiras naturais, quiosques, sanitários e passeio para realização de caminhada com área para uso de patins. Isso sem falar no amplo estacionamento com 150 vagas, portaria e pequeno ambulatório. O Parque será administrado pela Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis).